O sutiã cor de rosa



Certo dia, ao entrar em uma loja, me deparei com um sutiã cor de rosa. Ele era de um rosa chiclete, todo cheio de renda. Lindo!

Quando me certifiquei de que o preço era mais lindo ainda, tratei logo de experimentar para ver se ele gostaria do meu corpo da mesma forma.

Não sei vocês, mas sempre coloco o sutiã virado para poder fechar pela frente, depois o desviro normalmente.

Acontece que, na hora de desvirar, descobri que aquele se tratava de um sutiã diferente.

Ele possuía, além das alças normais, uma parte que deveria se encaixar nas costas, me obrigando a colocá-lo pela frente e fechar por trás, o que exigiria que uma pessoa fechasse ele para mim.

Nunca imaginei que o fato de eu depender de outra pessoa para conseguir fechar facilmente meu próprio sutiã me incomodaria tanto. Devo confessar que me senti ofendida com tamanha imposição.

Ao dividir com alguém minha angústia, a pessoa prontamente alegou ser romântica a ideia da necessidade de um segundo para o fechamento da roupa íntima.

E ela não deixa de ter razão. Existe muito romantismo e sensualidade no ato de fechar as roupas de sua companheira.

Mas a beleza verdadeira, penso eu, estaria no fato de eu pedir que alguém fechasse meu sutiã porque isso me faria bem, por esta se tratar da minha vontade, e não de uma necessidade.

O sutiã cor de rosa é a sociedade que impõe, através dos meios de comunicação, padrões de beleza às mulheres.

O sutiã cor de rosa é o ideal machista da mulher que precisa de um companheiro para ser feliz e que é olhada diferente quando diz que não pensa em ter filhos.

O sutiã cor de rosa representa todas estas imposições disfarçadas de romantismo e supostas receitas para a felicidade.

Que sejamos capazes de viver nossas vidas e fazer escolhas baseadas em nossos próprios ideais, não naqueles que fazem questão de construir para nós. E que saibamos discernir ambos.

Que jamais deixemos de ir contra tudo aquilo que, de alguma forma, degrina nossa imagem e limite nossa liberdade de escolha.

Bonito mesmo é desejar verdadeiramente que alguém faça parte de sua vida, é ter filhos que sejam fruto do puro sonho de ser mãe, é o corpo que não é moldado por nenhuma capa de revista.

Que sejamos capazes de fechar nossos próprios sutiãs.


Patrícia Pinheiro

Texto publicado também nos seguintes sites: Benfazeja; Sociedade Racionalista e Brasil Post.
Blog Widget by LinkWithin


Comentários via facebook

14 comentários:

  1. Adorei, adorei, adorei!
    Nunca li tantas verdades. Fica o lembrete para as fabricantes dos nossos importantes amigos do peito para que pensem em mulheres independentes, né.

    http://achadoscompartilhados.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Great blog!! Happy New Year!!
    Would you like to follow each other on gfc/bloglovin?

    Enter my giveaway here:
    http://asweetwoorld.blogspot.com/2013/12/rosegal-international-giveaway.html

    ResponderExcluir
  3. Você escreve muito bem!
    E acho que nunca li tantas verdades em apenas um texto rsrs

    Beijão!
    http://www.galaxiasperdidas.com/

    ResponderExcluir
  4. Profundo e verdadeiro!!!
    Ótimo texto!

    Beijos
    http://plantaoonline.blogspot.com.br/

    (seguindo seu blog...segue de volta)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Paola :D

      Já estou seguindo seu blog também!

      Beijos

      Excluir
  5. Acho que é tudo questão de ponto de vista, eu prefiro ver o sutiã rosa como mais uma desafio de nós mulheres, um desafio que exige esticar um pouco mais os braços para trás para conseguirmos sozinha abotoar o sutiã rosa, provando assim que somos capazes de qualquer coisa, como sempre fazemos, com um pouco mais de esforço apenas... E se com o rosa não der certo, temos o vermelho e o preto ainda...
    Ou talvez humildade em pedir ajuda, porque independente de sexo, todo precisam de ajuda em algum momento, vai de cada um entender da forma que mais fazer sentido, adorei sua reflexão e me fez pensar bastante no assunto, adorei seu blog, vou favoritá-lo e seguir também!

    Estandy Books - A Estante Da Andy

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostei muito das tuas colocações, Andy. Também compartilho da mesma opinião. Todos nós precisamos de ajuda e é necessário e bonito saber quando devemos pedir por ela. Trouxe a ideia do sutiã apenas como uma metáfora, um gancho para dizer essas coisas que precisavam ser ditas :) Fico muito feliz que tu tenhas gostado e principalmente deixado teus pensamentos por aqui!!

      Também vou seguir o seu e favoritar :D

      Um beijo enorme!

      Excluir
  6. Oiiii Patricia vim te falar que o seu blog foi indicado na tag : cconhecendo a blogueira e vc esta convidada a responder a tag !! olha la . bjs.

    http://cheiadasmanias.blogspot.com.br/2014/01/tag-conhecendo-blogueira-hellen.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Hellen!
      Que lega, obrigada pela indicação :) Já vou dar uma passadinha por lá!

      Beijos!

      Excluir
  7. Adorei seu blog, e a sobre a história tratada no seu post me identifiquei muito! rs Beijoooos
    http://www.maryanesilverio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou e se identificou, Mariane! :D

      Volte sempre aqui!
      Beijos :D

      Excluir

Obrigada por comentar, sua opinião é muito importante para mim!
Se tiver um blog, não deixe de colocar o link para que eu possa visitá-lo também.