Amizade: convencional ou incondicional?






Todos nós possuímos ao menos uma pessoa a quem possamos chamar de amigo.


Alguém com quem nos pechamos em um dos muitos meios sociais nos quais estamos inseridos e que, por despertar em nós algum tipo de simpatia, de ligação, seja ela instantânea ou não, acabamos anexando à nossa vida, convidando a fazer parte de nossa história.



Somos, desde que nascemos, seres sociais.

Nos reconhecemos e nos afirmamos através do olhar do outro.

E, por mais que não percebamos, essa é a função dos amigos. 

Eles amenizam sua angústia ao mostrar que a compreendem, e tornam sua alegria ainda mais real apenas por existirem e permitirem que ela seja compartilhada.

Mas, quando o assunto é amizade, e refletindo sobre as que eu mesma cultivo, não consigo deixar de me fazer a seguinte pergunta: com quantas das pessoas com quem trocamos uma relação de amizade, estabelecemos uma empatia e um vínculo realmente verdadeiros?

Possuímos muitos companheiros, pessoas com quem compartilhamos e que testemunharam diferentes momentos de nossas vidas, pessoas que certamente serão convidadas para nossas formaturas e casamentos, mas, me pergunto com quantas delas trocamos uma genuína cumplicidade e preocupação mútua.

Acredito que relações de amizade assim sejam raras. 

Aquelas em que, apesar da distância, não existem brechas para que um se distraia do outro.

Em que há cuidado mesmo quando o outro não está vendo.

Em que há sensibilidade ou insistência suficientes para que se perceba a necessidade do outro, bem como para ajudar a saná-la.

Seria lindo se alcançássemos toda essa profundidade, esse amor sincero e gratuito, em nossas relações de amizade. 

Um funcionaria, por assim dizer, com uma extensão do outro.

O sorriso, quase como um bocejo, seria contagioso.

O fazer pelo outro seria como o fazer para si mesmo: automático; necessário; inquestionável. 

Tendo consciência de todo o amor que somos capazes de destinar a nós mesmos, que possamos refletir acerca do quanto somos capazes de dar para aqueles que ousamos chamar de amigos.


Patrícia Pinheiro
Blog Widget by LinkWithin


Comentários via facebook

8 comentários:

  1. Oi, Patrícia!

    Sabe que eu li uma vez que não temos mais de que três a cinco amigos verdadeiros? Acho que, então, nesse quesito eu estou bem, pois tenho poucos. Me relaciono bastante com muita gente, mas sei com quem tenho mais afinidade, e são poucos. Com esses, eu me importo de um jeito que acho que, muitas vezes, não tenho a recíproca, sabe? Sou assim, se amo alguém, estou lá pra sempre, sempre escrevendo palavras verdadeiras em cartas. Já me ferrei demais nas amizades quando adolescente, mas depois do ensino médio a tendência foi melhorar e agradeço demais que, hoje, eu saiba que tenho poucos, mas os melhores amigos que poderia querer ter!

    Love, Nina.
    http://ninaeuma.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, Nina!
      Também tenho pouquíssimos amigos com que sei que posso contar sempre e já tive muitas decepções, pois, como tu mesmo disseste, o carinho e a preocupação nem sempre acabam sendo recíprocos!

      Beijo grande pra ti! :)

      Excluir
  2. Eu assisti o filme dessa imagem.
    É lindooooooooo!!!...
    Tenho pouquíssimos amigos e aprendi a selecionar a dedo quais são.
    Já tive algumas decepções, mas estou já estou vacinada..rs

    Estou seguindo o sue blog.
    Beijinhos

    Visite meu blog: http://cariocaemportugal.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O filme é lindo mesmo, Érica! Sou apaixonada por ele!
      Obrigada por seguir e comentar, já retribuí lá no seu, adorei ele! :)

      Beijos!

      Excluir
  3. Gostei do que você escreveu.
    Amizades intensas assim são raras, mas eu acho que existem; tem uma frase que diz mais ou menos que se você tiver um grande amigo, tem um tesouro.

    petalasdeliberdade.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom, Mari!
      Obrigada :)
      Também acredito que, embora raras, existam e, sim, são tesouros!

      Beijos!

      Excluir
  4. Adorando teus textos, to lendo tudo. hehe
    Parabéns!

    http://sonharnostemposdoagora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom, Rafaella! Fico muito feliz em saber :D
      Seja sempre bem vinda aqui!

      Beijão!

      Excluir

Obrigada por comentar, sua opinião é muito importante para mim!
Se tiver um blog, não deixe de colocar o link para que eu possa visitá-lo também.